Projeto

PRIMEIRO ENCONTRO DE PLANEJAMENTO

Nos dias 9 e 10 de agosto de 2012 as organizações parceiras do Projeto Escola de Mediação se reuniram em São Luis para realização de um primeiro planejamento estratégico do Projeto. Estiveram na coordenação desse encontro o Instituto Formação e o UNICEF.

O objetivo com esses momentos de planejamento é caminharmos passo a passo para irmos consolidando a ação solidária das organizações na construção de alternativas para o desenvolvimento através dos esportes, construindo uma Rede Nordeste de Mediação em Esportes Educativos.

PROGRAMAÇÃO

1o dia

Manhã – Local: Hotel Stop Way

9h – Boas vindas e apresentação dos participantes

9h30 – Apresentação do UNICEF – esportes

10h Apresentação das organizações parceiras – trabalho que desenvolve com crianças e adolescentes na área dos esportes
INSTITUTO FORMAÇÃO – MA
INSTITUTO ELO AMIGO – CE
INSTITUTO FLORAVIDA – NUCLEO PARNAIBA – PI
PROJETO BEIRA DE LINHA – PB
SERTA – PE

11h Apresentação e discussão inicial do projeto

12h30 – Almoço

Tarde – Local: Hotel Stop Way

14h – Diálogos sobre esportes educativos – a partir do material produzido pelo Instituto Formação e UNICEF ( texto preliminar no prelo)

Reflexões sobre as seguintes temáticas:
a)  à legislação brasileira para os esportes,
b) ao esporte educativo,
c) ao conceito de mediação,
d) às diferentes modalidades de esportes que serão trabalhadas pela Escola de Mediação

16h30 – Informes gerais sobre possibilidades de projetos na área dos esportes: leis de incentivo

2o dia
Manhã – Local: Espaço Alegria – Maracanã

8h – Saída

9h – Visita a um Núcleo de demonstração de atividades intergeracionais do Instituto Formação (Espaço Alegria)
Como é o Projeto Educativo do Espaço

10 h – Vivências demonstrativas com futebol, voleibol, handebol, basquete e outras modalidades esportivas

Almoço

Tarde – Local: Sede do Instituto Formação
14h – Planejamento do projeto – para todo o ano definindo datas e locais…

Mediacao 1

PROJETO ESCOLA DE MEDIAÇÃO

Resumo executivo:

O Projeto Escola de Mediação tem como objetivo trabalhar os esportes (olímpicos e futebol) na perspectiva do esporte educativo, inserindo à prática do esporte, a construção de regras, reflexões de temáticas e avaliação da prática esportiva, isso sendo feito a partir de uma metodologia do esporte em 3 tempos. Um primeiro tempo de construção de regras e reflexão de temas, um segundo tempo em que a prática esportiva (o jogo, a corrida, etc.) ocorre e, um terceiro tempo, destinado à  avaliação.

Em quase a totalidade das escolas brasileiras os esportes educativos são pouco trabalhados. Mesmo na versão preliminar para a prática de auto-rendimento essa abrangência ainda é pequena. Tudo isso, apesar da inclusão da disciplina educação física no currículo das escolas de todo país. Isso ocorre tanto pela falta de professores especialistas em todas as escolas, quanto pela não compreensão da importância desse conteúdo e inadequação de grande parte das escolas para essa prática. Apesar de avanços existentes na última década, ainda há um longo caminho a percorrer.

O conceito de esporte educativo ou educacional aparece a partir da Carta Internacional da Educação Física, elaborada pela UNESCO. Tinha como objetivo renovar os conceitos que eram adotados antes e durante a Guerra Fria, em que existia uma ampla prática pela competição e era utilizado muito mais para a formação de “exércitos” do que pelo lazer e como um dos conteúdos formadores do “homem integral”.

Desde então o esporte educativo é tanto praticado em sistemas de educação formal como no não-formal, adaptando regras, estrutura, espaços, materiais e formas de se praticar de acordo com as regras construídas, as condições sociais e pessoais.

No Brasil, foi nos Jogos Escolares Brasileiros de 1985 que se iniciou o debate sobre o esporte educacional.

Em 1993, a Lei n° 8672/1993 e o Decreto n° 981/1993 reforçam o conceito de Esporte Educacional. Em 1995, com a criação do Ministério Extraordinário do Esporte e do Instituto Nacional do Desenvolvimento do Esporte foi elaborado um primeiro documento com os princípios fundamentais do esporte educacional, que são:

1)    Coeducação

2)    Cooperação

3)    Emancipação

4)    Participação

5)    Regionalismo

6)    Totalidade

Este projeto nasce, assim, a partir do conceito do esporte educativo e da necessidade de se ampliar o conceito da mediação, que será adotado na prática dos esportes, a partir da metodologia que distribui o tempo de atividade esportiva em 3 tempos. Na Escola de Mediação não se trabalhará com as figuras do “treinador” e do “árbitro”. Adotar-se-á a figura do educador com papel de mediador da prática esportiva.

Ao mesmo tempo em que se deseja difundir as práticas do esporte educativo e da metodologia do esporte em 3 tempos, com a introdução do MEDIADOR – como orientador desse processo, estamos também no Brasil vivendo os momentos que antecedem a organização de grandes eventos esportivos para esportes de alta performance. Esse contexto que gera a necessidade de se disseminar metodologias do esporte educativo e inclusivo, igualmente em grande abrangência para garantir o esporte como direito de todos e todas e não apenas como mecanismo de geração de renda e comercialização de produtos será o foco das atividades desenvolvidas pelo projeto.

Objetivo geral:

Implantar e ampliar a prática do esporte seguro e inclusivo no Nordeste – Semiárido Brasileiro, de modo particular nos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba e Pernambuco.

Resultados:

§  Ampliação dos esportes educativos em rede, mediante concretização e funcionamento da Rede Nordeste de Mediadores para a prática do esporte educativo, seguro e inclusivo.

§  Difusão permanente e garantia de visibilidade de práticas esportivas com caráter educativo, através de funcionamento do Portal Nordeste do esporte educativo, seguro e inclusivo: ferramenta alimentada online com informações sobre essas práticas.

§  25 formadores de mediadores (profissionais de educação física) qualificados

§  150 mediadores qualificados.

§  3.000 crianças e adolescentes envolvidos em práticas de esporte seguro e inclusivo dentro e fora de escolas públicas.

 

Estratégias e ações:

O Projeto é desenvolvido em cinco estados. Em cada estado há uma organização parceira que coordena-o e dissemina a metodologia da mediação nos esportes educativos em modalidades olímpicas praticadas em três tempos.

Cada organização conta com um educador e um monitor, pagos pelo projeto – parceria estratégica UNICEF e SAMSUMG, que dão continuidade ao trabalho de campo, após cada etapa do processo formativo.

A Escola de Mediação não é um espaço de ensino, mas uma estratégia de formação em movimento, disseminando idéias, metodologias e programações de esportes educativos. Foi concebida e é coordenada pelo Instituto Formação, responsável pelo Programa de Formação dos Mediadores. Mas todos os parceiros constroem em uma rede de tecnologia social livre as experiências com esportes educativos e inclusivos.

Em cada cidade de cobertura do projeto, escolas são escolhidas como campo de atuação dos adolescentes e jovens mediadores, em ação cooperativa deles com diretores e professores, mediados pela organização parceira. Também em cada cidade as ações desenvolvidas vão estruturando NUCELs – Núcleos Comunitários de Esportes e Lazer.

As estratégias e ações desenvolvidas são:

§  Adoção da metodologia da mediação na formação de adolescentes, jovens e professores para o trabalho no contra turno de escolas públicas e em comunidades rurais e periféricas dos municípios abrangidos, nas modalidades: futebol, voleibol, handebol, basquetebol e atletismo.

§  Mapeamento de organizações não governamentais para parcerias e organizações juvenis de esportes (para inserção) e escolas públicas (para realização de atividades esportivas).

§  Mapeamento de espaços – locais alternativos para as práticas de esporte seguro, educativo e inclusivo.

§  Formação de multiplicadores

§  Formação de 150 mediadores (adolescentes, jovens e professores) para o trabalho com crianças e adolescentes de escolas públicas em 5 estados do Nordeste a partir da ação cooperativa com organizações do Maranhão, Piaui, Ceará, Pernambuco e Paraíba, já articuladas numa embrionária da Rede Nordeste de Futebol de Rua.

§  Realização de encontros e seminários de mediação.

§  Realização de eventos de esporte seguro, educativo e inclusivo

O processo de formação dos profissionais e mediadores será conduzido pelo Instituto Formação em parceria com as organizações locais. De início faremos a formação dos educadores e formadores de mediadores e, estes, na sequencia darão continuidade em cada estado, com o acompanhamento sistemático da coordenação geral.

Gestão

No sentido de avaliá-lo e planejá-lo as organizações parceiras se propõem a:

a.     O Instituto Formação realiza reuniões quinzenais em São Luis, abertas à participação de integrantes de organizações parceiras e do UNICEF, para avaliação do projeto e reorientação do planejamento.

b.     Existe um plantão diário de atendimento virtual e por telefone disponível a todos os envolvidos no projeto que desejarem tirar dúvidas.

c.     Cada organização é responsável por coordenar o núcleo local.

d.     Estão programadas duas reuniões de avaliação e planejamento com representantes das organizações dos cinco estados A primeira já aconteceu em São Luis.

As informações do que acontece no conjunto de sua abrangência territorial será sistematicamente divulgado nas diversas ferramentas de comunicação: site, blogs e facebook, a fim de que possa haver um acompanhamento permanente do que ocorre.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s